Busca

Frases & Poesias

Um lugar para encontrar inspiração, tranquilidade e muito amor por meio de lindas frases e poesias ♥ Por: Núbia Ruth

memórias tecnológicas <3

Durante um período (okay, foi mais de um ano), eu acabei me afastando do blog. Eu podia até dizer que foi a falta de tempo, a correria do dia a dia, ou simplesmente seguir o principio de não dar tantas explicações que venho tentando praticar. Mas, na verdade, foi a imensa dificuldade de lidar com alguns sentimentos e a síndrome de impostora que me tiraram o chão e também as palavras. Quando você entra na faculdade, tanta coisa muda que nem sei te explicar… seus olhos conhecem outras coisas, o mundo fica grandão, vem as responsabilidades, muitos amigos vão embora, outros chegam… mas isso tudo você já sabe. Algumas pessoas até dizem que esse é o normal da vida. Uma pena a gente não se acostumar só de ouvir. Mas uma coisa que também muda é que você aprende muuuita coisa. Eu sei, parece super óbvio, mas essa parte não é. Aprender leva tempo, esforço e dói muitas das vezes, e acho que acabou doendo em mim num momento que eu já estava doendo, sabe? “Nubinha, não tô entendendo nada.” Me perdoa. Enfim, quando estamos na faculdade, aprendemos tanta coisa… são tantos poetas incríveis… são tantas métricas… é tanta musicalidade! Parece inspirador, mas às vezes eu me pegava perguntando: “será que um dia vou conseguir escrever assim?” Aliando isso às outras coisas que já comentei, quando vi, estava colocando a culpa numa crise criativa que nunca passava. Mas quem diria que uma atividade da faculdade seria o fósforo que acenderia memórias lindas e merecedoras de serem escritas, né? Isso aconteceu, e que bom.

Estou no quinto período da faculdade de Letras, cursando uma disciplina chamada Recursos Tecnológicos Aplicados ao Ensino. É interessante estudar essas questões no meio de uma pandemia e usando quase que exclusivamente a tecnologia para me comunicar com o mundo exterior. Aprendendo a usar plataformas como Google Meets, Google Classroom, Microsoft Teams, Web Conferência, passei a ficar mais curiosa para ver como será o futuro da educação. Às vezes, parece que a plaquinha de “proibido usar celular em sala de aula” nem combina tanto assim com o mundo real e toda aquela resistência com a tecnologia nas escolas acabou caindo por terra devido a uma força maior. Eu mesma, que nunca pensei em trocar meu querido combo de papel e caneta colorida, estou pensando seriamente em investir em um notebook para poder estudar fora do quarto (já que não tem como sair de casa). “Mas Nubinha, que atividade é essa?” É sobre memórias. Tudo a ver com o blog, né? Eu acho que sim.

Meu pai sempre amou música, então, a primeira tecnologia com a qual me familiarizei foi o som da sala de casa e os CD’s da estante. Me lembro de pegar um caderno de capa dura aos quatro anos, colocar em cima da caixa de som, abri-lo ao meio e fingir que estava usando um computador digitando super rápido com os dedos. Sim, meu primeiro sonho era ter um computador (achava super chique). Lembro que com seis anos eu cheguei da escola com minha mãe e lá estava ele: aqueles computadores de tubo do Windows. Meu pai estava terminado de o instalar quando eu entrei no quarto. Ai, que alegria! Fiquei com medo de estragar? Sim. Mas meu pai me ensinou a mexer no Paint e criou meu primeiro e-mail para que eu pudesse brincar no Clube da Lilica Ripilica. Puro amor ❤

Passou uns anos e a onda tinha virado para as impressoras. Quando eu estudava no Anjos da Terra, eu, que adorava ser ajudante dos professores no Fundamental I e imitar as professoras fazendo cópias a mão para a turma, só conhecia o xerox com cheirinho de álcool do mimeógrafo. Eu amava que as folhas saiam quentinhas dele, então, abraçar minhas primeiras cópias na impressora nova foi a primeira coisa que eu fiz para ver se era quentinho também. Como meus pais são uns fofos, eles me deixavam imprimir todos os desenhos que fazia no Paint para guardar. Era uma gastação de tinta que só, mas eu adorava. Pena que minha carreira de desenhista não foi para frente, mas que a impressora deu um up em todos os meus cartazes para a escola, isso deu. Minha mãe me ajudava a escolher as imagens no Google, salvar no Word, imprimir e recortar “em cima da linha”. Ficava uma gracinha e era muito bom receber um “Que capricho!” da professora no cantinho da cartolina.

Olhando para trás, lembro que, em 2009, no meu curso de inglês, tinham cinco computadores disponíveis para os alunos fazerem atividades caso não tivessem o computador em casa e os professores não “ficavam de olho” no que eles faziam. Mas na escola isso era um pouco diferente: uma vez vi os computadores da escola sendo trocados por esses mais finos e também o medo dos professores da gente estragar alguma coisa ou abrir outras abas na hora da aula. Acho que a tecnologia digital ainda era novidade demais para todo mundo, e não tem muito como “controlar” uma turma de 36 alunos na frente de um computador na sala de informática da mesma forma que ao lado do radinho com o CD de inglês dentro da sala de aula tradicional, né? E imagina meu choque quando eu fui para o SESI em 2011 e vi que a onda não era mais cartolina e mimógrafo? C-H-O-C-A-D-A. Eu confesso que até chorei no início quando via que um trabalho era fazer um banner (what?). Mas foi incrível, porque acabou sendo uma época que minha criatividade foi desafiada e me fez aprender a mexer no data show da escola para passar os slides.

Nessa época, eu já sabia mexer no Word, Power Point, Gmail e outras funcionalidades do computador, mas não acessava as redes sociais e meu celular era chamado de “tijolão” na escola (mas eu amava ele demais). Alguns colegas só pararam de falar do meu celular quando eu ganhei um tablet lindo da Sony do meu pai e consegui baixar o joguinho que estava em alta naquela época: o Pou (meu tablet estragou e sinto saudades até hoje do nível 230 que alcancei com minha mãe nele haha). Orkut? Não conheci. MSN? Nunca nem vi. Só em 2015, quando entrei no SENAI de Design Gráfico, é que ganhei meu primeiro Smartphone de aniversário e finalmente criei coragem de criar meu Facebook e baixar o WhatsApp (I’ve always been shy).

Entre 2009 e 2015, meu computador e impressora foram diversas vezes para o concerto e eu descobri a mágica de uma boa formatação. Com o curso, parei de mexer no Paint e aprendi que o pacote Adobe é mais avançado que o Corel Draw. No primeiro dia que eu fui mexer no Mac, adivinha? Medo. Mas grudei no meu amigo João e deu para aprender bastante coisa (fora que nunca vi uma tela tão bonita quanto aquela). Chegava a ser engraçado ver a diferença das cores por causa da calibração diferente entre o monitor do curso e o da minha casa na hora de fazer o TCC.

Me formei no SENAI em julho de 2016 e iniciei um curso de um mês sobre Mídias Sociais. Eu, que tinha muita vergonha e fui a última da turma a criar um Facebook, em novembro de 2016, criei o blog e publiquei meu primeiro poema. Esse curso foi muito importante para mim: desenvolvi habilidades que aplico até hoje, entendi conceitos de publicidade e passei a publicar poemas dia sim e dia não no Frases & Poesias. Já o Instagram levou mais um ano para entrar na minha vida. Na época, eu queria compartilhar as fotos dos Dias D do meu Terceirão e acabei criando a conta, mas nunca me tornei uma usuária ativa de verdade.

Depois de formada e na faculdade, passei a trabalhar como professora particular e monitora de Inglês Instrumental. Lembra a parte de aprender muuuita coisa? Here it is! Nas minhas aulas, senti a necessidade de fazer meu próprio material para ajudar de uma forma mais adaptável a meus alunos: slides, vídeos na internet, playlists da aula, criação de coreografias e até receitas de slime já usei para que eles aprendessem no próprio ritmo e da melhor forma possível. Na monitoria, conheci pessoas tão incríveis e que me deram a imensa oportunidade de conhecer cada vez mais o que agora curso nessa disciplina: tecnologia aliada a educação (muito obrigada, gente!)

Acho que minha timidez e até receio em estragar equipamentos tecnológicos nunca me permitiram pensar que hoje em dia eu trabalharia com a criação de conteúdo para internet nas redes sociais do @letras. Há um ano e cinco meses, entrei lá como estagiária de moderação de conteúdo e passei a ficar mais atenta nas redes sociais para saber dos lançamentos dos artistas do mundo da música. O Letras me fez aprender demais e, constantemente, me concede espaço para meu engrandecimento. Lá dentro, passei a fazer parte da criação de um projeto que está em andamento sobre ensino de inglês com música. Jamais na vida vou me esquecer da minha reação ao receber o convite de participar dos vídeos das redes sociais da empresa: disse um sim super sorridente! Imagina só ter vários alunos ao mesmo tempo? Isso foi P-E-R-F-E-I-T-O para mim que sempre quis ser professora, sabe? (muito, muito obrigada de coração <3)

Sou muito grata por tudo o que vendo aprendendo: edições do TikTok, conteúdos que são mais compartilháveis para o Instagram e Facebook, escrita para Newsletters, gravações em casa, criação de planilhas… agora, mesmo quando a tecnologia digital me deixa receosa (porque não é simples a criação de conteúdo) já me sinto mais segura (principalmente pelo apoio das pessoas que me cercam) e sei do bem que faz saber usá-la da melhor maneira possível. Acredito do fundo do coração que uma das funções mais interessantes da tecnologia seja a democratização ao acesso à informação. É muito bom fazer parte disso.

(Nossa, a saudade de escrever era real…)

A pessoa que fez diferença em minha vida foi minha mãe <3

The person who has made a difference in my life is my mom ❤

Maybe, every daughter has that feeling that her mother is her best friend. Maybe, every mother cares of her baby as it is the most important thing is her live. Maybe, there are many people like this around the world. But I truly believe the relationship I have with my mom is special.

I love my mom’s draws. They are pretty different, I have never seen anything like them before. One day, I found my mom’s notebook and I thought there would be her drawing, but it was not. It was her diary. I knew I should not, but I read. And I cried when I found out that actually our relationship as best friends had begun when I was not born yet. She wrote down on her notebook about all her “mom feelings” and I did not know it was so scary to her to be about to have a small creature in her arms. She wrote that she wanted to share her live with me and I already was her most precious thing. I did cry a lot. She came in the bedroom and asked me what was going on and I told her what I did. She put me in her arms and told me “I love you, my dear.”

I remember once, when we were at my aunt’s house, my mom wanted to go home, but I was playing with my cousin. Maybe, she would have said: “Let’s go now.” However, my mom just looked at me and I knew she wanted to go. Since that day, I was only six, I knew that we were different. And I learned how powerful our eye contact was.

My mom has always been with me. Always. She was the one who would take me to the school, to my English course and to the gym and pick me up. She would be the one who would carry my backpack because I wanted to take every single book to school to study. She would be the one who would choose my school material with me and help me to decide which one was be most beautiful (and the one which would have a Disney character on the front cover). She would be the one who would make my favorite food every single time I would take a great note to celebrate and when I would fail as well because she wanted to see me smile.  She would be the who would understand when I was angry with something to don’t interpret me wrong if I got to upset. She would be the one who would get up to wake me up every morning and would prepare my breakfast.

Even if I wanted to I would not be able to tell fifty per cent of all that she has always been doing to me. I think she will never understand how much I love her. Is more than I can explain. And it is so big that hurts sometimes. It is so strong that we can face anything, anything, together and win. We are able to get over the worst situations in life only by looking at each other and feeling that we don’t want to see the other cry.

We keep our secrets, we dance, we sing, we laugh, I cry, she listen to me, she tells me what to do, and supports me whatever I choose to do. I am certain that she is my soul made because I always knew that I would can do anything if I had her by my side.

She didn’t need to make a big thing to prove her love because she always do it to me even if it’s natural to her. She can wake up at night if she hears me crying in my bedroom alone, and she will stay awake into I stop. She wakes up just to be sure that my pão de queijo will be ready on time for me to go to college. She will worry about how much weight I carry in my backpack. She will send me messages and call me if I haven’t yet. She will ask me how I’m doing, if I’m tired and about my felling, but the difference is that she wants to know the true. She will always defend me, but will show me if I’m wrong.

So, my mom has made a big difference in my life. I think that I wouldn’t be who I am or be where I am now if it wasn’t because of her. She is proactive, strong, funny, worried, friend, gentle and independent and taught me how to be. She is my best part and I love her much more than she can ever imagine.

 

A pessoa que fez diferença em minha vida foi minha mãe ❤

Talvez, toda filha tem esse sentimento de que sua mãe é sua melhor amiga. Talvez, toda mãe cuida de seu bebê como se fosse a coisa mais importante de sua vida. Talvez, há muitas pessoas assim pelo mundo afora. Mas eu acredito fielmente que minha relação com minha mãe é especial.

Eu amo os desenhos da minha mãe. Eles são muito diferentes, eu nunca vi nada como eles antes! Um dia, encontrei um caderno de minha mãe e pensei que seriam seus desenhos, mas não eram. Era seu diário. Eu sei que não devia, mas eu li. I E eu chorei quando descobri que nossa relação como melhores amigas tinha começado mesmo quando eu ainda não era nascida. Ela escreveu no caderno sobre seus “sentimentos de mãe” e eu não sabia que era tão  assustador para ela ter uma criaturinha nos braços. Ela escreveu que ela queria dividir a vida comigo e que eu já era sua coisa mais preciosa. Eu chorei muito. Ela veio para o quarto e me perguntou o que estava acontecendo e eu contei a ela o que eu fiz. Ela me colocou nos braços e me disse “Te amo, minha querida.”

Me lembro, quando estávamos na casa da minha tia, que minha mãe queria ir para casa, mas eu estava brincando com meu primo. Talvez, ela teria dito: “Vamos agora.” Contudo, minha mãe só olhou para mim e eu sabia que ela queria ir. Desde esse dia, eu só tinha seis anos, eu soube que nós erámos diferentes. E eu aprendi o quão poderoso nosso olhar era.

Minha mãe sempre esteve comigo. Sempre foi ela quem me levou para a escola, para o meu curso de inglês e para a academia e me buscava. Ela seria quem carregaria minha mochila porque eu queria levar cada livro para a escola para estudar. Ela seria quem escolheria meu material escolar comigo e me ajudaria a decidir qual delas era a mais bonita (e a que teria um personagem da Disney na capa). Ela seria quem faria minha comida preferida toda vez que eu tirasse uma nota boa para comemorar e também quando eu não ia bem só pra me ver sorrir. Ela seria a única que entenderia quando eu estava com raiva de algo para não me interpretar mal se eu ficasse chateada. Ela seria a pessoa que se levantaria para me acordar todas as manhãs e prepararia meu café da manhã.

Mesmo que eu quisesse, não seria capaz de dizer cinquenta por cento de tudo o que ela sempre fez por mim. Eu acho que ela nunca vai entender o quanto eu a amo. É mais do que eu posso explicar. E é tão grande que dói às vezes. É tão forte que podemos enfrentar qualquer coisa, qualquer coisa juntas e vencer. Somos capazes de superar as piores situações da vida apenas olhando uma para a outra e sentindo que não queremos ver o outra chorar.

Mantemos nossos segredos, dançamos, cantamos, rimos, eu choro, ela me escuta, ela me diz o que fazer e me apoia no que eu escolho fazer. Tenho certeza de que ela é minha alma gêmea, porque eu sempre soube que poderia fazer qualquer coisa se ela tivesse ao meu lado.

Ela nunca precisou me provar seu amor, porque ela sempre faz isso da forma mais natural.  Ela vai acordar à noite se ela me ouvir chorando sozinha no meu quarto, e ela vai ficar acordada, até eu parar. Ela acorda só para ter certeza de que meu pão de queijo estará pronto a tempo para eu ir para a faculdade. Ela vai se preocupar com quanto peso eu carrego na minha mochila. Ela vai me mandar mensagens e me ligar se eu ainda não o fizer. Ela vai me perguntar como eu estou, se estou cansada e sobre os meus sentimentos, mas a diferença é que ela quer saber de verdade. Ela sempre vai me defender, mas ela vai me mostrar se eu estiver errada.

Então, minha mãe fez e faz uma grande diferença na minha vida. Eu acho que não seria quem sou se não fosse por ela. Ela é pró-ativa, forte, engraçada, preocupada, amiga, gentil e independente e me ensinou como ser. Ela é a minha melhor parte e eu a amo muito mais do que ela pode imaginar.

 

Frases & Poesias  ❤

Por: Núbia Ruth

O segredo do amor <3

Um dia desses, precisei pegar um 99 para voltar para casa. O motorista era um moço muito simpático e de conversa fácil. Ele me disse que estava na cidade há pouco e que já percebia as diferenças entre Salvador e BH {ou Belô, como ele mesmo disse}. Fomos conversando sobre a vida, o tempo e o amor, já que ele está para se casar depois de 12 anos de relacionamento. Falando sobre as coincidências da vida, ele me contou sobre um amigo taxista que descobriu um PF de R$ 7,00 e morreu no mesmo dia. Um homem, desiludido amorosamente, decidiu se suicidar e pulou de um prédio alto e acabou caindo em cima do táxi de seu amigo, causando a morte instantânea de ambos. Na hora me lembrei do filme “O curioso caso de Benjamin Button” onde há um cena em que a dançarina sofre um acidente e fica imaginando no hospital que apenas um segundo poderia ter evitado toda aquela situação assustadora. Entramos então, novamente, no caso do homem que decidiu cometer suicídio. Como estaria a ex-namorada dele naquele momento? E sua família? Seus amigos? Seus companheiros de bar, de academia e do trabalho? E o taxista? Que, animado com o novo PF, nunca comeria de novo? Que deixou sua família e tudo que conhecia sem nem mesmo perceber? O motorista de Salvador disse então que era loucura fazer aquilo por amor. Eu disse que era realmente um história muito triste e que o amor é um sentimento perigoso, pois nos engana. Podemos nos achar amantes de alguém, mas podemos estar apaixonados e não percebemos. O perguntei se ele imaginava sua vida sem sua noiva. Ele me disse que era óbvio que não, pois ele já havia descoberto, depois de 12 anos de relacionamento, que ela era a mulher de sua vida e que tudo o que ele queria era passar o resto da vida ao lado dela. Eu, então, falei com ele sobre o termo “intensidade”. E se a intensidade da paixão dele houvesse demorado 12 anos para se tornar amor? E se a intensidade da paixão, saudade, compromisso e amor dele fosse exatamente compatível a de sua companheira? Seria completamente diferente da situação daquele homem que caiu de um prédio de diversos andares. E se a intensidade da paixão dele tivesse a duração de 3 semanas e de sua companheira fosse 12 anos? Essa falta de equivalência, se não trabalhada com o devido cuidado, cria um déficit de sentimento bem problemático e a pessoa apaixonada confunde sua paixão com amor. Contei para ele então a história de Platão sobre o ser humano ter sido criado por Zeus com 2 cabeças, 4 braços, 4 pernas e 2 corações. O ser humano seria tão competente, forte e poderoso que passou a desdenhar dos deuses. Zeus, com toda sua fúria, partiu todos nós ao meio, nos deixando muito mais frágeis e vulneráveis.  Mas esse não seria o real castigo. O castigo agora seria o desespero que teríamos para encontrar nossa outra metade nesse mundo gigantesco. Ele adorou a história e concordou comigo quando disse que “o segredo do amor é a dose equivalente entre intensidade, paixão e nosso próprio conceito do que é amar.”  
Frases & Poesias  ❤
 Por: Núbia Ruth

Silêncio de admiração <3

Seu silêncio já ficou confortável?
E o de seu companheiro?
Ou será que
seu silêncio arde por inteiro?
Vira puro desespero
Remexe na sua cabeça e
Te faz falar sobre o tempo
e quando acha que vai chover?
Ele te faz cócegas
e incomoda o estômago?
Você até confunde com borboletas
Mas sabe que é um verdadeiro incômodo.
Te soca forte no coração
Aperta o peito
E olha lá você de novo
procurando algo para falar…
E quando não acha
essa loucura toda
te faz chegar no ponto
de abraçar bem forte
de beijar aquela pessoa
para criar uma risada alta
e quebrar o desconforto?
Seu silêncio te incomoda?
Bem, espero que um dia chegue lá.
Porque
Quando o silêncio vira admiração
Não existe pressão
Mas contemplação
As almas gritam de contentamento
O corpo relaxa
e a respiração flui
Vocês se olham
e enxergam
o universo
Vocês se entendem
e se completam
como uma rima ao final de um verso
Vocês param e um sorri
O outro entende e abre a boca
Mas se lembra que
nenhuma palavra é necessária…
Não é preciso conversas procuradas
Encher as pausas,
Bloquear os vazios,
Não precisa gritar alto,
Nem morrer de rir.
A linguagem de vocês se transformou.
Parabéns,
paixão de vocês virou amor!

Frases & Poesias  ❤

Por: Núbia Ruth

 

Livro <3

Você foi meu livro mais lindo,
A capa mais bonita,
O que melhor decorava minha estante,
O que eu devorava em um instante,
O que da minha cabeça não sumia.
Aquele me inspirava noite e dia,
Aquele que eu queria ter continuado a escrita,
Aquele que melhor preencheu minhas horas,
E arrancou de mim as melhores risadas
E as lágrimas mais sinceras
E os abraços mais quentes
E os cheiros mais entusiasmados.
Foi meu parâmetro para todos os outros
E, mesmo tendo vários exemplares,
Se tornou para mim único no mundo.
Porque te cultivei sozinha.
Dentro e fora da minha estante.
Com todo o carinho que eu pudia.
Te transformei em primogênito:
É o primeiro que me vem à cabeça,
É o primeiro de quem eu falo,
É o que me marcou
De um jeito bom
E, em algumas páginas,
De um jeito bem ruim.
Te tornou o ouvinte,
Mesmo falando sempre.
Te tornou o acolhedor
Das minhas vistas turvas e às vezes cansadas.
Te tornou o fim do meu começo.
E em cada palavra eu me importei a você
E exportei de ti o melhor e o pior.
Te interpretei da melhor forma,
Não te julguei mal.
Absorvi cada ideia tua,
Como se tivesse gosto doce de primeira
E amargo desespero de última.
Assimilei tudo em mim.
Tirei cada enigma seu
E me forcei a resolver um por um.
E não dobrei suas páginas
Mas, cuidei de ti como cuidaria
De um ser humano de quatro patas.
Não te rasguei,
Mas quis muito em ti escrever.
Mas a tinta que estava em mim
Você preferiu esquecer.

Frases & Poesias  ❤

Por: Núbia Ruth

Algo que eu nem sei o nome </3

Você estava ali, do meu lado.
E mesmo quando eu gritei, e gritei e gritei,
você não quis me ajudar.
Você ficou me olhando,
como se eu fosse maluca,
e nem se mexeu.
Eu te olhava implorando,
por algo que eu nem sei o nome,
mas que me queimava por dentro
e que eu tinha certeza que você ia apagar.
Mas você escondeu a água para não sei o que
(ou não sei quem).
Eu senti na hora muita raiva,
mas eu entendi:
Não adiantava ter a água
se o balde estava furado,
se meu barco já estava cheio de furos
e se o rio já tinha me invadido por completo.
Não adiantava você correr até mim
já que tinha muitas faíscas pelo chão
e você não queria se queimar
(mesmo comigo em chamas
por algo que nem sei o nome).
Não adiantava eu continuar ali esperando,
mesmo que me doesse virar as costas.
Você já tinha feito isso antes.
Mas porque me sinto tão mal?
Não adiantava.
Só queria que o relógio adiantasse
as horas para eu ver o futuro
e sentir, de verdade, que tudo ia ficar bem.
Será que ficou tudo bem?
Não sei o que é tudo bem.
Não sei o nome daquilo.
Não sei onde está o balde.
Não sei onde meu barco furado parou.
Não sei onde eu estou.
Não sei onde você está.
Nem onde estava e nem onde vai estar.
Meu peito ainda arde. Uma hora tem que parar.

Frases & Poesias  ❤

Por: Núbia Ruth

Mutatio de Jonathan Mendes <3

Eu tenho um primo poeta. Ele é maravilhoso, de sorriso fácil e cativante, que escreve com a alma e não com a mão, que alegra dia e noite meu coração. Tem forma de verso, é bem poesia. Ele é um orgulho, uma pessoa incrível. por isso deixo aqui, dele, um pedacinho  ❤

 

Mutatio

 

Pessoas mudam,

Valores mudam,

As coisas mudam,

Tudo no mundo muda, o tempo todo!

Esse é o seu momento

Essa é a sua história

Nada é absoluto

Nada dura para sempre,

E se algum dia se sentir impotente,

Pense que talvez a vida não esteja lhe prendendo,

Talvez esteja lhe protegendo para que você possa crescer em paz.

Você não é a vítima nem o vilão,

Você é foda, você é o protagonista de tudo!

Mudar é normal, o fatal na verdade,

E ficar parado.

 

Jonathan Mendes  ❤

Devaneio?! <3

Devaneio?

Legítimo?

Vindo?

Sorrindo?

Tão lindo!

Bem-vindo!

 

Frases & Poesias  ❤

Por: Núbia Ruth

Como consegui tirar 960 na redação do ENEM <3

Desde sempre gostei muito de escrever. Escrevia cartinhas para meus pais, poesias, crônicas, mas nunca havia entrado em contato com as dissertações argumentativas a fundo.

No terceiro ano do ensino médio, eu e minha turma começamos a ter de lidar com esse novo modo de escrita, muito mais detalhado e complexo do que o modo como costumávamos escrever “textos mais sérios”.

Sem primeira pessoa, sem erros ortográficos, sem poesia, com argumentos claros e objetivos, tópico frasal… ficamos doidos!

Meu professor, que no sétimo ano me encorajou a escrever poesias, no terceiro ano me alertou sobre os riscos que esse estilo poderia me trazer no ENEM. Eu escrevia com muitos detalhes, adjetivos e pontuações. O texto acabava ficando muito expressivo e pouco objetivo. Assim, com dor no coração mas com o objetivo de entrar na faculdade, me cedi a estrutura formal da dissertação argumentativa.

Ao longo do ano de 2017 foram muitas notícias lidas para ampliar minha visão de mundo, estudos refentes ao que o governo, escola, mídia, família e sociedade poderiam fazer para solucionar um problema social, apreensão de novo vocabulário e estudo da estrutura do texto em si. Além disso, claramente, diversas redações escritas com os mais diversos temas.

Até que chega agosto do mesmo ano e minha professora de português promove um projeto, em grupo ou individual, acerca de uma iniciação científica. O projeto propunha que procurássemos um tema referente a nosso curso de desejo e pesquisássemos sobre ele.

Na época, eu era a única que queria fazer Letras, então fiz o projeto individualmente. Decidi que iria trabalhar acerca dos alunos com deficiência em sala de aula, sua interação com a escola, com o mundo e com os colegas que não falam sua língua: a LIBRAS. Esse tema me preocupa bastante. Promovi, então, em meu projeto, a inclusão da LIBRAS como disciplina nas escolas brasileiras. Pesquisei na escola as pessoas que teriam interesse em estudar a língua, o por quê do desejo em aprendê-la e os possíveis frutos que isso nos arrecadaria como um todo.

O projeto ficou pronto e foi apresentado. A professora gostou bastante e meus colegas também. Fiquei bastante orgulhosa do resultado, visto que me empenhei bastante: pesquisei sobre o tema, fiz cursos online de LIBRAS, promovi pesquisas quantitativas e qualitativas e descobri países que já adotam o método bilíngue e obtêm sucesso constante referente a inclusão e desempenho do aluno que se tornam cidadãos aptos à interação social e ao mercado de trabalho.

Duas semanas após a apresentação, a professora apresentou um segundo trabalho: propor um tema de redação relacionado ao nosso projeto. Fiz dois: um que questionava a inclusão de deficientes auditivos nas escolas e como solucioná-lo e outro que relacionava o aprendizado das LIBRAS com o desenvolvimento mercadológico. Realizei as duas redações e continuei meus estudos normalmente (e ansiosamente) para o grande dia 05 de novembro de 2017.

No primeiro dia de prova do ENEM, o tema da redação era o mais especulado. Eu acreditava piamente que seria algo relacionado a cultura indígena ou do meio ambiente, temas que estudei bastante.

Mas minha surpresa foi muito mais agradável: abri o caderno de questões e no meio dele estava o tema da redação: “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. Mal pude acreditar! Li e reli milhares de vezes o tema que eu pesquisei e trabalhei por quase dois meses! Eu sorria tanto que um dos meninos sentado ao meu lado estranhou minha reação hahaha

Realizei essa prova com a tranquilidade que eu precisava ter sentido o ano todo. Acho que foi Deus quem me ajudou para que tudo corresse bem. Era o meu sonho, bem ali na minha frente. E ele se concretizaria da melhor forma possível.

Escrevi tudo: coloquei os pensamentos filosóficos de Aristóteles que melhor cabiam ao tema de educação, apresentei os dados que fiz em minha pesquisa, utilizei exemplo dos países de educação bilíngue e dos doces frutos que alcançaram incluindo a LIBRAS à grade das escolas, utilizei dados históricos da educação segregadora brasileira e seus riscos à educação dos deficientes e finalizei com três propostas de solução: aliar família e escola no ensino dos deficientes auditivos, ampliar a representatividade dessas pessoas nas mídias para que elas se tornem conscientes de sua posição como cidadão e a inclusão da LIBRAS como disciplina nas escolas (nome do meu projeto :)!

Enfim, sai da prova aliviada e vi minha mãe sorrindo no portão da faculdade em que realizei a prova. Alguém contou para ela sobre o tema enquanto me esperava fazê-la! E ela vibrou ao saber que eu tinha sido agraciada dessa forma!

No dia seguinte, na escola, todos vieram falar comigo sobre o meu acerto em cheio no tema da redação. Quem assistiu minha apresentação agradeceu, pois muitos não haviam estudado essa possibilidade. Minha professora me deu os parabéns e a cada dia eu queria mais e mais saber o meu resultado!

Então, chegou o dia 19 de janeiro de 2018: dia do resultado. Eu chorei ao ver que alcancei os 960 pontos na redação e agradeci muito a meus pais, professores e Deus por essa nota.

Passei na faculdade de Letras da UFMG: melhor decisão da minha vida! Hoje sou muito realizada! Até hoje essa nota é motivo de orgulho para meus pais e eu não podia fica mais feliz com isso!

Consegui voltar a escrever poeticamente, mesmo depois de um tempo  e não pararei mais ❤

Foi benção, sorte e mérito! Minha melhor realização pessoal depois de tanto esforço!

Obrigada a todos os envolvidos ❤

Frases & Poesias  ❤

Por: Núbia Ruth

WordPress.com.

Acima ↑